Posts

Transtorno Bipolar: características e tratamentos

O transtorno bipolar é uma doença que interfere de forma significativa nos sentimentos das pessoas, no seu modo de agir e até mesmo na forma como elas se relacionam com os outros. O distúrbio de humor faz parte dos sintomas a serem observados.

É comum que tenhamos oscilações de humor, nos sintamos tristes e desanimados um dia, enquanto em outro estejamos mais animados e otimistas. Isso faz parte da vida!

Porém, no transtorno bipolar, essas alterações podem durar muito tempo e acontecerem de forma constante e progressiva, sendo mais intensas. Continue lendo esse post e você saberá mais sobre a doença, aprendendo a identificar os sintomas, quando necessário.

Características do transtorno bipolar

Existem duas fases predominantes no transtorno bipolar: a depressão e a mania. A alternância entre uma fase e outra é a característica principal da bipolaridade.

No início, a pessoa pode passar por um quadro chamado hipomania, no qual os sintomas aparecem de forma mais leve. O indivíduo se sente mais funcional e com mais energia, tendo uma necessidade menor de descanso, podendo dormir por pouco tempo e não ser afetado.

Mas, esse quadro não se sustenta por muito tempo, evoluindo para o estágio de mania ou de depressão, os quais podem ir se alternado e prejudicando a qualidade de vida da pessoa até que ela busque tratamento.

Veja os principais sintomas da fase de mania bipolar:

  • Euforia em excesso;
  • Agitação
  • Inquietude;
  • Mania de grandeza;
  • Alterações no comportamento sexual;
  • Pensamentos acelerados;
  • Delírios, alucinações, agressividade (em casos mais graves).

Sintomas da depressão bipolar

Agora confira os sintomas apresentados quando a pessoa entra na fase da depressão:

  • Indisposição;
  • Tristeza;
  • Lentidão;
  • Irritabilidade;
  • Ansiedade;
  • Perda de interesse e prazer por fazer atividades de que gosta;
  • Desânimo persistente;

Possíveis causas de transtorno bipolar

A causa exata da doença ainda é desconhecida, mas existem diversos fatores que influenciam seu desenvolvimento e estão ligados às oscilações de humor. Confira:

  • Genética: pelo menos até 80 por cento dos casos podem ter ligações com fatores genéticos.
  • Mecanismos neuronais: alterações nos neurotransmissores também são fatores relevantes que podem ajudar a desenvolver a doença.
  • Eventos ambientais: perdas, abusos, estresse e experiências traumáticas também aumentam os riscos de ter o problema.

Tratamentos para transtorno bipolar

Ainda não existe uma cura para doença, mas, através do tratamento contínuo, a pessoa pode levar uma vida normal.

O tratamento para transtorno bipolar é realizado através de medicação. São usados remédios chamados de estabilizadores de humor, cujo objetivo é impedir que o paciente evolua para um estado de euforia e mania ou para um quadro de depressão profunda.

Antipsicóticos e antidepressivos podem ser descritos, se o profissional responsável considerar necessário. O tratamento é recomendado não só para tratar crises atuais, mas para prevenir novos episódios.

O acompanhamento de um médico psiquiatra é fundamental, além dos medicamentos e da psicoterapia.

O transtorno bipolar é frequentemente confundido com outras doenças, devido aos sintomas serem similares. Portanto, é importante escolher um profissional qualificado e experiente para que seja dado o diagnóstico correto.

Deixe aqui seu comentário ou dúvidas sobre o assunto.

Ansiedade: Preocupação excessiva que atrapalha a sua vida e a das pessoas ao seu redor

Todos nós temos preocupações. Na maioria das vezes elas são justificadas e se fazem até úteis para que possamos tomar algumas atitudes de precaução. É um instinto normal, como um mecanismo de defesa da nossa mente.

O problema é quando essa preocupação sai do controle e acaba virando excessiva, atrapalhando a nossa vida e a das pessoas que convivem conosco. Muitas vezes isso pode estar relacionado a um tipo de ansiedade.

O Transtorno de Ansiedade Generalizada, por exemplo, se caracteriza pela preocupação excessiva com coisas muito banais, como a escola ou o trabalho, por um período igual ou maior do que seis meses.

Então, se sua preocupação é contínua e incontrolável, pode realmente estar relacionada a algum tipo de ansiedade clínica.

O que fazer para solucionar isso?

Existem alguns modos de estabilizar essa ansiedade e preocupação para conseguir voltar a viver normalmente.

A principal delas é a Terapia Cognitivo-comportamental, que ajuda a pessoa a entender as origens dessa preocupação excessiva, assim como lidar com a ansiedade e seus outros efeitos.

É importante também adotar algumas técnicas para você fazer sozinho(a), as quais ajudem a reduzir ou evitar esses problemas. Veja algumas dicas:

  • Entenda o que sua preocupação significa

Normalmente quando esse estado de ansiedade ocorre, a mente vira um caos de pensamentos negativos.

Tente se perguntar o porquê de tanta agonia, se isso te ajudará a resolver algum problema e se o contexto ao seu redor realmente pede por essa atitude.

Compreender que esse tipo de preocupação não é protetora e sim compulsória pode ajudar a evitá-la.

  • Pratique técnicas de relaxamento

O relaxamento muscular progressivo e a respiração profunda são duas técnicas muito boas que você poderia fazer ao menos uma vez por dia durante de 15 a 30 minutos.

A primeira se caracteriza pela contração e relaxamento dos músculos, já a segunda se baseia na inspiração e na expiração utilizando a musculatura do diafragma.

  • Saiba acalmar-se de imediato

Ao ter uma crise de ansiedade é muito difícil se controlar sem saber nenhuma técnica. Você pode tentar as citadas anteriormente, todavia, existem alguns gatilhos sensoriais que podem te ajudar a se acalmar na hora.

Coloque uma música suave e tranquilizante para tocar nos fones de ouvido; foque sua visão em uma superfície plana de cor padronizada; procure cheiros calmantes, como lavanda; ou aperte algum objeto com uma textura prazerosa.

  • Faça atividades físicas

Praticar exercícios físicos é uma ótima maneira de aliviar a frustração e a ansiedade. Fazer atividades aeróbicas ao menos 30 minutos por dia pode ajudar a reduzir a tensão e o estresse, além de fazer muito bem a outros aspectos da saúde.