Vigorexia e compulsão por exercícios físicos

0

Atmosfera Feminina

A busca de corpos impecáveis parece ser mais um efeito colateral da idealização característica da sociedade brasileira contemporânea.

Diariamente inúmeras imagens ideais pulverizam e bombardeiam nossos cérebros. São corpos perfeitos, peles de camurça, cabelos estonteantes… É raro encontrarmos propagandas nos grandes veículos que retratem pessoas mais “normais” – ou seja, com marcas de expressão, quilinhos a mais, celulites, culotes proeminentes e toda sorte de registros que a vida nos deixa.

Na atualidade, observa-se que o indivíduo só é aceito em sociedade ao estar de acordo com os padrões do grupo. Logo, pessoas não atraentes são discriminadas e não recebem tanto suporte em seu desenvolvimento quanto os sujeitos reconhecidos como atraentes, chegando mesmo a ser rejeitada. Isto pode dificultar o desenvolvimento de habilidades sociais e da autoestima.

Algumas pessoas são diretamente afetadas pelo desejo, crença e busca de tal perfeição. Para alguns, ela é até desejável, mas conscientemente intangível. Para outros, ela é uma meta inexorável. Para estas pessoas não é possível ser amada e desejada se ela tiver um quilo a mais na balança ou um centímetro a mais de cintura.

Corpo perfeito: conflito entre o ideal e o real

O corpo torna-se a referencia mais importante para sua identidade que supera ausência de outros valores de natureza diferente. Ele é associado com a felicidade, sucesso, status social e autoestima, e a relação entre imagem corporal de autoestima é motivo e fonte de angústia. O desejo para o modelo ideal e a não observância provoca um conflito entre o ideal e o real. É a chamada Vigorexia.

A Vigorexia é um transtorno caracterizado pela prática incessante de atividade física associada à prática de alimentação não convencional, na busca por corpos musculosos, sendo mais descrita em indivíduos do sexo masculino, e atualmente o número de mulheres é cada vez maior.

Vem acompanhada também de importante perda de noção da imagem corporal. Ad exemplo da anorexia, em que ocorre uma espécie de deformação da imagem vista no espelho, a vigorexia atua de modo similar, gerando na pessoa uma necessidade premente e incontrolável de exercitar-se mais e mais. E como ela se vê fraca ao olhar-se no espelho, acrescente ao quadro toda sorte de anabolizantes e produtos lícitos ou ilícitos para atingir o grande objetivo traçado.

E eis o que teremos: pessoas profundamente atingidas de forma física, psíquica e socialmente.

Além da vigorexia é cada vez maior o número de pessoas que apresentam também a chamada Ortorexia descrita como um comportamento obsessivo patológico, caracterizado pela fixação por uma dieta pura. Pessoas com esse distúrbio não se importam com a quantidade, mas sim com a qualidade dos alimentos que serão ingeridos, agindo de forma descontrolada pela busca por alimentos puros, de forma que este excesso se torna seu hábito alimentar mais saudável, com a finalidade de que se tenha um bom funcionamento do organismo através desses alimentos.

É preciso de muita negação da realidade para sustentar que “está tudo bem” mesmo que estejamos fazendo muito mais horas de atividade física semanal que o recomendado, mesmo que o assunto “corpo perfeito” tenha tomado toda nossa agenda mental, que ter um corpo perfeito seja nosso único sonho do momento. Segue abaixo sintomas a serem observados:

– Prática excessiva de esporte, que os leva a abandonar tarefas profissionais e sociais.
– Dietas especiais para aumentar musculatura, consumindo inclusive anabolizantes ou esteroides.
– Mudanças bruscas de comportamento sem razão aparente.
– Obsessão por ter um corpo musculoso
– Tem uma imagem desproporcional de si mesmo; sempre se veem frágeis e sem nenhum atrativo físico.
– Passam grande parte do dia pensando em como alcançar um corpo mais musculoso.
– Pessoas muito introvertidas.
– A necessidade imperiosa de ser notado e admirado
– Carência de experiências afetivas reconfortantes ao longo da vida
– Autoestima criticamente baixa
– Autocrítica tirânica

Possíveis Consequências:

– Alterações do metabolismo
– Hipertrofia e/ou deformações ósseas
– Frustração
– Pedra do interesse pelas atividades sociais e familiares
– Dietas desequilibradas, excessivamente ricas em proteínas
– Baixo rendimento ou até fracasso profissional
– Convulsões, enjoos e dores de cabeça
– Lesões hepáticas e cardíacas
– Disfunção erétil, problemas de fertilidade
– Câncer de próstata
– Diminuição da agilidade

A vigorexia deve ser tratada de forma multidisciplinar. A psicoterapia é uma possibilidade de decodificar o pedido por trás do sintoma – que possivelmente é um porta-voz de situações mais complexas do nosso mundo interno. Se a ansiedade inicial for insuportável, medicações também podem ajudar neste período.

Dar o primeiro passo para vencer uma compulsão – via de regra – é a parte mais difícil. Porém, passar a conhecer-se, a amar-se sem ressalvas, a valorizar as relações, os amigos, a quem se ama… Tudo isso não tem preço, é liberdade.

Lembremos que a medida, sempre ela, é a parte mais importante da equação. Para saber se a medida dos investimentos está boa em sua vida, analise se você está cuidando dos vários assuntos importantes em seu contexto ou se está abandonando alguns em detrimento de um único, soberano, que se transformou no seu amo mimado. Se a resposta for “sim” pense se não é o caso de uma revisão. Somos grandes demais para valorizar tanto justamente aquilo que é mais perecível em nossas existências: o corpo físico. Exercitemos nossas almas também.

Dorit Wallach Verea é psicóloga, sócia diretora da Clínica Prisma, mestre em Psicologia Clínica pela PUC/SP e especialista em Dependência Química pelo Instituto Sedes Sapientiae. É também especialista em Psicologia Psicossomática pela Universidade Paulista/SP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui